sexta-feira, 3 de julho de 2009

Resíduo eletrônico ou lixo eletrônico

É o nome dado aos resíduos da rápida obsolescência de equipamentos eletrônicos, o que inclui televisores, telemóveis, computadores, geladeiras e outros dispositivos.
Tais resíduos, descartados em lixões, constituem-se num sério risco para o meio ambiente, pois possuem em sua composição metais pesados altamente tóxicos, tais como mercúrio, cádmio, berílio e chumbo. Em contato com o solo, estes produtos contaminam o lençol freático, se queimados poluem o ar.

Reciclagem de lixo eletrônico deixa a desejar

De acordo com pesquisas realizadas por duas grandes empresas do setor da tecnologia da informação, apenas 10% dos computadores no mundo são reciclados e só 3% das pessoas que utilizam telefones celulares reciclam seus aparelhos antigos.

O problema do lixo eletrônico começa com a produção e o consumo

No âmbito da produção e do consumo, existe algumas medidas que pode se tomar para amenizar a situação, a primeira delas é o consumo consciente, outra medida importante é a extensão da vida útil dos eletrônicos, através do reuso. Por exemplo, um computador de dez anos atrás ainda pode ser usado como servidor de rede, armazenamento ou impressão. A terceira maneira de reduzir os danos do lixo eletrônico é buscar um descarte responsável: em vez de jogar os eletrônicos no lixo, procurar projetos sociais e educacionais que façam uso deles, ou então empresas que realizem a remanufatura ou reciclagem dos equipamentos.



Danos e doenças causados pelo lixo eletrônico descartado incorretamente

Os equipamentos obsoletos continuam chegando em ritmo acelerado e sem controle aos lixões. Esses equipamentos possuem diversas substâncias e elementos químicos extremamente nocivos à saúde, principalmente os metais pesados.
Os danos causados pelos componentes tóxicos são diversos. A seguir são citados os principais efeitos nocivos ao organismo causados por alguns dos elementos e substâncias, bem como seus usos mais comuns:

Arsênico: Causa doenças de pele, prejudica o sistema nervoso e pode causar câncer no pulmão. Onde é usado: Celular.

Belírio: Causa câncer no pulmão.
Onde é usado: Computador, celular.

Cádmio: Causa envenenamento, danos aos ossos, rins e pulmões.
Onde é usado: Computador, monitores de tubo antigos, baterias de laptops.

Chumbo: Causa danos ao sistema nervoso e sanguíneo.
Onde é usado: Computador, celular, televisão.

Mercúrio: Causa danos cerebrais e ao fígado.
Onde é usado: Computador, monitor e TV de tela plana.

Retardantes de chamas (BRT): Causam desordens hormonais, nervosas e reprodutivas.
Onde é usado: Diversos componentes eletrônicos, para prevenir incêndios.

PVC: Se queimado e inalado, pode causar problemas respiratórios.
Onde é usado: Em fios, como isolante elétrico.

São Paulo: obrigação de reutilizar, reciclar ou neutralizar o lixo eletrônico

No Brasil, especificamente no estado de São Paulo foi aprovado uma lei PL 33/2008 do deputado Alexandre Barbosa que exige a reciclagem, reutilização ou neutralização do material eletrônico descartado. A lei prevê que todos os produtos eletro-eletrônicos comercializados no Estado de São Paulo tenham um rótulo com instruções sobre como e onde o consumidor pode levar seu equipamento quando não mais o servir, bem como a presença de substâncias tóxicas.

Algumas instituições não governamentais ajudam na reciclagem do lixo eletrônico

A Ecomicro é uma empresa cuja atividade, a reciclagem, é considerada fundamental num momento em que o destino do chamado "e-lixo", ou lixo eletrônico - computadores, telefones celulares, televisores e outros equipamentos obsoletos - causa preocupação no mundo. Com sede em Bordeaux, na França, a empresa alega ser a única no país que, anualmente, transforma cerca de 1,5 mil toneladas de computadores em componentes separados com o fim de reciclá-los.

O CDI Campinas recebe doação de computadores, que são avaliados e as peças em bom estado são recicladas na montagem de um computador a ser destinado aos nossos projetos. As peças sem condição de re-uso são destinadas a cooperativas de reciclagem, certificadas a trabalharem com a destinação correta de material tecnológico.

Projeto Alquimia: trasnforma caçaniques apreendidos em computadores e inclusão digital

Feito em parceria pela Isnpetoria da receita federal de Porto Alegre/RS o Ministerio Publico e o Centro Social Marista (CESMAR) o projeto recicla máquinas caça-níqueis em computadores, encaminhados à doação, e móveis, vendidos para cobrir os custos do programam, segundo o Sindireceita. Além dos ganhos ambientais, e da desocupação dos depósitos do Ministério Público por parte dos monstrengos caça-níqueis, as oficinas realizadas pelo CESMAR promovem o ensino profissional de marcenaria, serralheria e informática a jovens de 16 a 24 anos.Os equipamentos são desmontados e seus componentes, separados. A madeira é encaminhada para as oficinas de marcenaria que confeccionam móveis diversos, os metais, transformados em descansos de janelas e churrasqueiras e os componentes informáticos, se encontrados em bom estado, são descaracterizados e transformados em computadores pessoais e artesanato digital.

Visita a fábrica de cidadania do CDI- Goiânia

A visita ao CDI(comitê de democratização da informática) teve como objetivo saber o caminho do lixo eletrônico em Goiânia, a ONG ajuda a fazer a reciclagem recebendo de empresas e pessoas físicas doações de computadores e periféricos usados que passam por um processo de manutenção, cerca de 30% é aproveitado, estes equipamentos são doados e colocados nas escolas de informática e cidadania, o que não é aproveitado é armazenado e encaminhado a empresas especializadas em reciclagem desse material.